Questões ANÁLISE COMBINATÓRIA

1. (Fuvest 2004) Três empresas devem ser contratadas
para realizar quatro trabalhos distintos em um
condomínio. Cada trabalho será atribuído a uma única
empresa e todas elas devem ser contratadas. De quantas
maneiras distintas podem ser distribuídos os trabalhos?
a) 12
b) 18
c) 36
d) 72
e) 108


2. (Ueg 2005) A UEG realiza seu Processo Seletivo em
dois dias. As oito disciplinas, Língua Portuguesa-
Literatura Brasileira, Língua Estrangeira Moderna,
Biologia, Matemática, História, Geografia, Química e
Física, são distribuídas em duas provas objetivas, com
quatro disciplinas por dia. No Processo Seletivo 2005/2,
a distribuição é a seguinte:
- primeiro dia: Língua Portuguesa-Literatura
Brasileira, Língua Estrangeira
Moderna, Biologia e Matemática;
- segundo dia: História, Geografia, Química e Física.
A UEG poderia distribuir as disciplinas para as duas
provas objetivas, com quatro por dia, de
a) 1.680 modos diferentes.
b) 256 modos diferentes.
c) 140 modos diferentes.
d) 128 modos diferentes.
e) 70 modos diferentes.


3. (Uel 2006) Na formação de uma Comissão
Parlamentar de Inquérito (CPI), cada partido indica um
certo número de membros, de acordo com o tamanho de
sua representação no Congresso Nacional. Faltam
apenas dois partidos para indicar seus membros. O
partido A tem 40 deputados e deve indicar 3 membros,
enquanto o partido B tem 15 deputados e deve indicar 1
membro. Assinale a alternativa que apresenta o número
de possibilidades diferentes para a composição dos
membros desses dois partidos nessa CPI.
a) 55
b) (40 - 3) . (15-1)
c) [40!/(37! . 3!)]. 15
d) 40 . 39 . 38 . 15
e) 40! . 37! . 15!


4. (Ufmg 2006) A partir de um grupo de oito pessoas,
quer-se formar uma comissão constituída de quatro
integrantes. Nesse grupo, incluem-se Gustavo e Danilo,
que, sabe-se, não se relacionam um com o outro.
Portanto, para evitar problemas, decidiu-se que esses
dois, juntos, não deveriam participar da comissão a ser
formada.
Nessas condições, de quantas maneiras distintas se pode
formar essa comissão?
a) 70
b) 35
c) 45
d) 55


5. (Ufv 2004) Um farmacêutico dispõe de 4 tipos de
vitaminas e 3 tipos de sais minerais e deseja combinar 3
desses nutrientes para obter um composto químico. O
número de compostos que poderão ser preparados
usando-se, no máximo, 2 tipos de sais minerais é:
a) 32
b) 28
c) 34
d) 26
e) 30


6. (Cesgranrio 2002) Um brinquedo comum em
parques de diversões é o "bicho-da-seda", que consiste
em um carro com cinco bancos para duas pessoas cada e
que descreve sobre trilhos, em alta velocidade, uma
trajetória circular. Suponha que haja cinco adultos, cada
um deles acompanhado de uma criança, e que, em cada
banco do carro, devam acomodar-se uma criança e o seu
responsável. De quantos modos podem as dez pessoas
ocupar os cinco bancos?
a) 14 400
b) 3 840
c) 1 680
d) 240
e) 120


7. (Pucmg 2003) Um bufê produz 6 tipos de
salgadinhos e 3 tipos de doces para oferecer em festas
de aniversário. Se em certa festa devem ser servidos 3
tipos desses salgados e 2 tipos desses doces, o bufê tem
x maneiras diferentes de organizar esse serviço. O valor
de x é:
a) 180
b) 360
c) 440
d) 720


8. (Uel 2003) Sejam os conjuntos A = {1,2,3} e B =
{0,1,2,3,4}. O total de funções injetoras de A para B é:
a) 10
b) 15
c) 60
d) 120
e) 125


9. (Unesp 2003) O conselho administrativo de um
sindicato é constituído por doze pessoas, das quais uma
é o presidente deste conselho. A diretoria do sindicato
tem quatro cargos a serem preenchidos por membros do
conselho, sendo que o presidente da diretoria e do
conselho não devem ser a mesma pessoa. De quantas
maneiras diferentes esta diretoria poderá ser formada?
a) 40.
b) 7920.
c) 10890.
d) 11!.
e) 12!.


10. (Fgv 2005) Um fundo de investimento disponibiliza
números inteiros de cotas aos interessados nessa
aplicação financeira. No primeiro dia de negociação
desse fundo, verifica-se que 5 investidores compraram
cotas, e que foi vendido um total de 9 cotas. Em tais
condições, o número de maneiras diferentes de alocação
das 9 cotas entre os 5 investidores é igual a
a) 56.
b) 70.
c) 86.
d) 120.
e) 126.


Gabarito

1. C
2. E
3. C
4. D
5. C
6. B
7. D
8. C
9. C
10. B

Lista de aprovados IME 2008

o Ime divulgou a lista de aprovados do vestibular 2008



No total, são oferecidas 75 vagas (60 para o curso de formação e graduação de oficiais da ativa do quadro de engenheiros militares e 15 para o curso de formação e graduação de oficiais da reserva de segunda classe do quadro de engenheiros militares).


Mais informações no IME


Clique para visualizar a lista de aprovados

Questões Logaritimos

01) (FATEC/2003) No início de uma temporada de calor, já havia em certo lago uma formação de algas. Observações anteriores indicam que, persistindo o calor, a área ocupada pelas algas cresce 5% a cada dia, em relação à área do dia anterior. Nessas condições, se, em certo dia denominado
dia zero, as algas ocupam 1000 m2, aproximadamente em quantos dias elas cobririam toda a superfície de 16 000 m2 do lago?
(Use em seus cálculos: log 1,05=0,02 e log 2=0,30.)
a) 20 b) 60 c) 80 d) 100 e) 120

02) (UFLA/99) O valor de x na expressão é:
a) log(2) b) 0 c) 2 d) log(8) e) -3

03) (ITA/99) A inequação 4xlog5(x+3) ³ (x2+3)log1/5(x+3) é satisfeita para todo x Î S. Então:
a) S = ]-3, -2] È [-1, +¥[ d) S = ]-2, +¥]
b) S = ]-¥, -3[ È [-1, +¥[ e) S = ]-¥,-3[ È ]-3, +¥[
c) S = ]-3, -1]

04) (UFOP/2001-2º) Considere as afirmativas abaixo:
I. Se log5 = a e log7 = b, então log12 = a + b
II. log75.log57 = 1
III. log = log3 - log5 + log7

Assinale a alternativa correta:
a) Apenas a afirmativa II é verdadeira.
b) Todas as afirmativas são falsas.
c) Apenas a afirmativa I é verdadeira.
d) Todas as afirmativas são verdadeiras.
e) Apenas a afirmativa III é verdadeira.

05) (UFMG/2001) O pH de uma solução aquosa é definido pela expressão pH = -log[H+], em que [H+] indica a concentração, em mol/l , de íons de Hidrogênio na solução e log, o logaritmo na base 10. Ao analisar uma determinada solução, um pesquisador verificou que, nela, a concentração de íons de Hidrogênio era [H+] = 5,4 . 10-8 mol/l.
Para calcular o pH dessa solução, ele usou os valores aproximados de 0,30, para log2, e de 0,48, para log3. Então, o valor que o pesquisador obteve para o pH dessa solução foi:
a) 7,26 b) 7,32 c) 7,58 d) 7,74

06) (FGV/2002) Adotando-se os valores log2=0,30 e log3=0,48, a raiz da equação 5x = 60 vale
aproximadamente:
a) 2,15 b) 2,28 c) 41 d) 2,54 e) 2,67

07) (UFV/97) Se log(a+b) = loga + logb, então é igual a:
a) 1/2 b) 1/3 c) 2 d) 1 e) 5/6

08) (FUVEST/2001) sendo P =(a, b) um ponto qualquer da circunferência de centro na origem e raio 1, que satisfaça b > 0 e a ¹ ±b, pode-se afirmar que vale:
a) 0 b) 1 c) -log b d) log b e) 2 log b

09) (PUC/2003) Sabe-se que a equação x4 + 3x3 - 13x2 - 27x + 36 = 0 admite as raizes reais a, b, c, d, com a < b < c < d e tais que a + b = -7 e c.d = 3. Se |z| é o modulo do número complexo z = a + bi, então log25|z| é igual a:
a) 1/5 b) 1/4 c) 1/2 d) 2 e) 5

10) (VUNESP/2002) Numa fábrica, o lucro originado pela produção de x peças é dado em milhares de reais pela função L(x) = log10(100 + x) + k, com k constante real.
a) Sabendo que não havendo produção não há lucro, determine k.
b) Determine o número de peças que é necessário produzir para que o lucro seja igual a mil reais.


Gabarito

01 ) B 06 ) D
02 ) C 07 ) D
03 ) A 08 ) C
04 ) A 09 ) C
05 ) A

10 - a) k = -2
b) 900 peças

Studio Vestibular 3


Esse programa já foi testado pela equipe do VestiWeb e foi aprovadissimo.

O programa é excelente para quem é vestibulando, ele apresenta inúmeras questões de diversas universidades. Você pode selecionar a materia e o assunto das questões para montar o seu simulado ou até fazer o simulado criado com questões aleatórias.


Nome: Studio Vestibular 3
Licença: Shareware (12 reais)
Tamanho: 4,3 MB
Data: 12/03/2002
Sistema Operacional: Windows
Fabricante: Softcom
Língua: Português
Categoria: Educação - Ciências



Bom sistema de vestibular simulado, traz 10 mil questões já apresentadas em exames de 85 faculdades brasileiras. O aluno escolhe a disciplina, o número de testes e o tempo para a prova. O programa fornece ranking dos resultados, informa o desempenho por assunto e manda as questões erradas para uma pasta de revisão.



Download

Lista de aprovados UFRGS 2008

A lista de candidatos convocados para a matricula do vestibular da UFRGS 2008 saiu hoje às 17:30.

A universidade convocou estudantes para 4312 vagas de 69 cursos os quais teve como cursos mais concorridos Medicina e Psicologia.

Veja a lista aqui


Para maiores informações sobre a matricula consulte o manual do candidato no site

Manual do candidato

Prova UFABC 2008 2ªfase

Prova 16/9 - 2ª Fase (Física, Biologia e Redação)

- Download




Prova 15/9 - 2ª Fase (Matemática e Química)

- Download

Prova UFABC 2008 1ªfase

Prova - 1ª Fase UFABC



Prova de Conhecimentos Gerais

- Download



Gabarito da 1ª Fase

- Download

Simulador de bolsa de valores

O VestiWeb encontrou esse site que ofereçe um otimo simulador.

Cada participante inicialmente recebe um valor fictício de R$100.000,00, onde poderá simular compras e vendas de papéis negociados na Bovespa usando as mesmas ferramentas utilizadas por investidores profissionais.

Assim você pode :
- conhecer o funcionamento do mercado financeiro;
- expor suas opiniões, idéias e análises;
- Receber opiniões e sugestões de outras pessoas;
- Ter seu trabalho reconhecido;

Conheça o site JovemInvest - http://www.joveminvest.com.br/

Marca de 2000 vistantes

Quero agradecer a preferência ao VestiWeb que em menos de dois dias atrás conseguiu 1000 visitantes e 2000 pageviews, hoje conseguimos a marca de 2000 visitantes e quase 5000 pageviews

O VestiWeb tem o objetivo de selecionar tudo que há de melhor para o vestibular seja o conteúdo da Internet seja fora da Internet.

Trazendo sempre conteúdo de qualidade sem infringir os direitos de ninguém.

Divulguem e façam conhecer o blog de vestibular que mais cresce na Internet

VestiWeb: o vestibular na Internet

Prova UEL 2ªfase 2008

Língua Portuguesa, Literatura e Espanhol PROVA

Língua Portuguesa, Literatura e Francês PROVA

Língua Portuguesa, Literatura e Inglês PROVA

GABARITO DEFINITIVO

PROVAS DA 2ª FASE - 10/12/2007

Artes e Filosofia PROVA - GAB. DEFINITIVO

Artes e História PROVA - GAB. DEFINITIVO

Biologia e Filosofia PROVA - GAB. DEFINITIVO

Biologia e Física PROVA - GAB. DEFINITIVO

Biologia e História PROVA - GAB. DEFINITIVO

Biologia e Química PROVA - GAB. DEFINITIVO

Biologia e Sociologia PROVA - GAB. DEFINITIVO

Filosofia e História PROVA - GAB. DEFINITIVO

Filosofia e Sociologia PROVA - GAB. DEFINITIVO

Física e Matemática PROVA - GAB. DEFINITIVO

Física e Química PROVA - GAB. DEFINITIVO

Geografia e História PROVA - GAB. DEFINITIVO

História e Lingua Port/Literaturas PROVA - GAB. DEFINITIVO

História e Matemática PROVA - GAB. DEFINITIVO

História e Sociologia PROVA - GAB. DEFINITIVO

Lingua Port/Literaturas e Matemática PROVA - GAB. DEFINITIVO

Matemática e Sociologia PROVA - GAB. DEFINITIVO

Resolução Prova Unicamp 2ªfase 2008

Resolução feita pelo ELITE



Matemática - Download

Inglês - Download

Física - Download

Geografia - Download

Química - Download

História - Download

Português - Download

Ciências Biológicas - Download

Prova Unicamp 2ªfase 2008

Provas da Segunda fase

Matemática e Inglês - Download

Física e Geografia - Download

Química e História - Download

Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa e Ciências Biológicas - Download

Exercicios de termodinâmica

1. Um mecânico, medindo a temperatura de um dispositivo do motor de carro de um turista americano, usou um termômetro cuja leitura digital foi de 92ºC. Para que o turista entendesse melhor a temperatura , o mecânico teve de converter a unidade de temperatura de Fahrenheit. Qual foi o valor da temperatura após esta conversão?

2. Você é convidado a projetar uma ponte metálico, cujo comprimento será de 2 km. Considerando os efeitos de contração e expansão térmica para as temperaturas de -40ºF a 110ºF e o coeficiente de dilatação linear do metal é de 12 x 10(-6)/ºC, qual a máxima variação esperada no comprimento da ponte ? ( O coeficiente de dilatação linear é constante no intervalo de temperatura considerado).

a) 9,3 m
b) 2 m
c) 3 m
d) 0,93 m
e) 6,5 m

3.Uma chapa de alumínio,( o coeficiente de dilatação linear da chapa é 2,2 x 10(-5)/ºC) inicialmente a 20ºC , é utilizada numa tarefa doméstica no interior de um forno aquecido a 270ºC. Após o equilíbrio térmico , sua dilatação superficial , em relação à área inicial , foi:

a) 0,55%
b) 1,1%
c) 1,65%
d) 2,2%
e) 4,4%

4. A 10ºC , 100 gotas idênticas tem um liquido ocupam um volume de 1 cm cúbico . A 60ºC , o volume ocupado pelo líquido é de 1,01 cm cúbicos. Calcule:
A) A massa de 1 gota de líquido a 10ºC, sabendo-se que sua densidade, esta temperatura, é de 0,9 g/cm cúbico.
B)o coeficiente de dilatação volumétrica do liquido.

5.Uma taça de alumínio de 120 cm cúbicos contém 119 cm cúbicos de glicerina a 21ºC. Considere o coeficiente de dilatação linear do alumínio como sendo 2,3x10(-5)K(-1) e o coeficiente de dilatação volumétrico da glicerina de 5,1x10(-4)K(-1). Se a temperatura do sistema taça-glicerina for aumentada para 39ºC, a glicerina transbordará ou não? Em caso afirmativo , determine o volume transbordado ; em caso negativo , determine o volume de glicerina que ainda caberia no interior da taça.


6. Mistura-se gelo a 0ºC com água quente em um recipiente termicamente isolado,. Balanço de energia é o seguinte: 356 J/g são cedidos pela água quente , ao passo que 335 J/g são absorvidos para a fusão do gelo. Considerando o calor especifico da água 4,2J/g.K, qual a temperatura de equilíbrio da mistura?

a) 0ºC
b) 0,5ºC
c) 5ºC
d) 21ºC
e) 210ºC

Gabarito

1)197,6ºF

2)b

3)b

4)A)0,009g
B)0,0002/ºC

5)Não, caberá ainda 0,057cm cúbicos

6)c

Prova UFMG 2ª fase 2008

PROVAS - 2ª ETAPA

Biologia - Download

Filosofia - Download

Física - Download

Geografia - Download

História - Download

Língua Portuguesa e Literatura Brasileira - Download

Matemática - Download

Química - Download


Redação - Download


Língua Estrangeira

Espanhol - Download

Francês - Download

Inglês - Download

Prova UFMG 1ª fase 2008

PROVAS - 1ª ETAPA

Biologia (caderno 1)- Download

Física (caderno 1)- Download


Geografia (caderno 1)- Download


História (caderno 1)- Download


Língua Estrangeira

Espanhol (caderno 1)- Download

Francês (caderno 1) - Download

Inglês (caderno 1) - Download

Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (caderno 1)- Download

Matemática (caderno 1)- Download

Química (caderno 1)- Download


Gabaritos

02/12/2007 - Download

03/12/2007 - Download

Lista de aprovados UEPG 2008

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) divulgou hoje( 14 de Janeiro)a lista de aprovados do 2º Concurso Vestibular de 2008, em primeira chamada.

No dia 15 de Fevereiro de 2008 a UEPG publicará Edital próprio, em jornal de Ponta Grossa e no endereço http://www.uepg.br, informando o número de vagas, por local de oferta, curso, turno e tipo de cota de participação.

Foram 750 convocados. No total, 6.746 se inscreveram no concurso e 5.953 fizeram as provas. As matrículas acontecem nos dias 18 e 19 de Fevereiro, em local e horário determinado para cada curso e turno, especificados no boletim informativo do candidato.

Documentos necessários(originais e copias):

Histórico escolar da conclusão do ensino médio ou equivalente
- Certidão de nascimento ou de casamento (Duas cópias)
- Carteira de Identidade
- Título de eleitor, se maior de 18 anos
- Documento que prove estar em dia com serviço militar
- CPF
- Duas fotografias 3x4, idênticas e recentes

Clique aqui para visualizar o desempenho individual ou

Clique aqui para visualizar a classificação geral

Marca de 1000 visitantes

Quero agradecer a preferência ao VestiWeb que em menos de três meses conseguiu 1000 visitantes e 2000 pageviews.

O VestiWeb tem o objetivo de selecionar tudo que há de melhor para o vestibular seja o conteúdo da Internet seja fora da Internet.

Trazendo sempre conteúdo de qualidade sem infringir os direitos de ninguém.

Divulguem e façam conhecer o blog de vestibular que mais cresce na Internet

VestiWeb: o vestibular na Internet

Prova UFPR 2008

Prova de conhecimentos gerais - Primeira fase

Prova e gabarito

Download


Segunda fase

Prova de Compreensão e Produção de Textos
Download


Provas Discursivas
(Biologia, Filosofia, Física, História, Geografia, Matemática, Química e Sociologia)
Download


Prova de Música
Download

Prova de Habilidade Específica - Design
Download


Prova de Habilidade Específica - Arquitetura e Urbanismo
Download

Lista de aprovados UFPR 2008

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) divulgou a lista dos aprovados no vestibular 2008 hoje , dia 13 de janeiro. Os aprovados devem matriular-se com os documentos necessarios no período de 28 de janeiro a 01 de fevereiro de 2008 na na Pró-Reitoria de Graduação e Ensino Profissionalizante.

Documentos necessarios:

a) duas fotocópias autenticadas da ficha modelo 19 (Histórico Escolar do Ensino Médio – 2.º grau) ou duas cópias
autenticadas do Diploma registrado na Secretaria de Educação para quem fez curso em nível técnico de ensino médio (2.º
grau). Para os candidatos de inclusão social, tanto da apresentação da ficha modelo 19 quanto do diploma, deverá ficar
comprovado que cada uma das séries foi cursada com aprovação em escola pública no Brasil;
b) fotocópia autenticada da certidão de nascimento ou de casamento;
c) fotocópia autenticada da cédula de identidade;
d) fotocópia autenticada do CPF;

Para maiores informações , Clique aqui

Veja a lista de aprovados aqui

Prova UFV 2008

Primeiro dia

Gabarito Oficial - Download

Prova do Gabarito 1 - Download

Prova do Gabarito 2 - Download

Prova do Gabarito 3 - Download

Prova do Gabarito 4 - Download


Segundo dia

Link para o download da prova de cada curso

Prova UFRGS 2008

Física » Download

Geografia » Download

História » Download

Matemática » Download

Biologia » Download

Literatura » Download

Química » Download

Espanhol » Download

Inglês » Download

Português » Download

Redação » Download

Gabaritos clique aqui

Exercícios organizações internacionais

1.(Puccamp) Embora fundamentada na igualdade de todos os seus membros,
a forma como foi estruturada a Organização, a que o texto
se refere, impôs a supremacia das grandes potências pois,
os membros permanentes do Conselho de Segurança possuem
(A) a função de voto de recomendação em assuntos
relacionados à paz mundial.
(B) o papel de propor soluções nos conflitos e na redução
de tensões mundiais.
(C) o direito de escolher os juízes que compõem a Corte
Internacional de Justiça.
(D) a prerrogativa de impugnar qualquer decisão do
Conselho por meio de veto.
(E) o direito de indicar os países que participam das
reuniões da Assembléia Geral.

2.(Unifesp)De acordo com a capacidade de intervenção militar, o
sistema internacional contemporâneo pode ser definido
como
q) assimétrico, graças à presença das tropas de paz
das Nações Unidas nos conflitos internacionais.
b) assimétrico, devido à existência de uma superpotência,
os Estados Unidos, que atua segundo seus
interesses estratégicos.
c) simétrico, baseado na correlação de forças entre países
árabes e a OTAN, que perdeu poder depois da
Guerra no Golfo.
d) assimétrico, por causa da situação da Rússia, que
ainda detém milhares de ogivas nucleares dispersas
pela Europa.
e) simétrico, dado o equilíbrio das forças militares da
União Européia e dos Estados Unidos.

3.(UFPE) Em 24 de outubro de 1985, chefes de Estado, reunidos em Nova Yorque, comemoraram o 50° aniversário da Organização das Nações Unidas - ONU. O que representa essa organização?
a)A descolonização da América e da África e o respectivo engajamentos políticos dos dois continentes
b)O fim da Guerra Fria entre o mundo capitalista e o mundo comunista
c)Uma associação dos países do Ocidente para o enfrentamento com os países do Oriente
d)Uma força internacional acima das nações, na defesa da paz mundial, dos direitos do homem e da igualdade dos povos
e)A vitória da Liga das Nações, vigente durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais


Gabarito

1)D
2)B
3)D

Resumo OPEP



A Opep corresponde a um cartel internacional detentor do petróleo . Seus países-membros correspondem aos maiores exportadores mundiais e, assim, a organização controla o preço internacional do barril de petróleo.

Seus países-membros atuantes são : Arábia Saudita , Irã, Iraque, Kuwait, Venezuela, Catar Emirados Árabes Unidos, Indonésia, Líbia, Nigéria e Argélia

Foi criado em 1960 , mas passou a controlar o preço do petróleo em patamares convenientes para o grupo , através de uma politica de quotas. Cada país-membro possui um quota de comercialização predefinida para que não haja um super-oferta e consequente queda dos preços.

Após o Primeiro Choque do Petróleo, os países consumidores buscarem fazer prospecção nos seus territórios como forma d reduzir as importações e também fontes alternativas de energia começaram a surgir. Em decorrência disso, os países da Opep sabem que não podem aumentar demais o preço do barril do petróleo , sob pena de perderem mercados,pois

  • diversos países possuem reservas de petróleo que não utilizam porque
    são inviáveis economicamente, mas, se o preço internacional subir muito, essas
    reservas se tornam, automaticamente, rentáveis;


  • fontes alternativas já testadas estão prontas para no mercado na medida em
    que o petróleo começar a se exaurir e o seu preço aumentar


  • PROVA UFRJ 2008 - 1ª Fase

    PROVA 1ª fase do vestibular UFRJ 2008.

    Download



    Gabarito

    Download

    Lista Aprovados UEL 2008

    A Universidade Estadual de Londrina (UEL ) divulgou nesta quinta-feira 17 de janeiro a lista de aprovados do vestibular 2008. A UEL seleciona candidatos para 3.050 vagas, em 42 cursos de graduação.A 2ª convocação está prevista para o dia 8 de fevereiro, às 16 horas.

    A matrícula dos aprovados será de 23 a 30 de janeiro, obedecendo ao seguinte calendário:
    - Dia 23, das 8 às 11 horas, aprovados nos cursos de Ciências Sociais, História e Medicina Veterinária; das 14 às 17 horas, Arquivologia, Fisioterapia, Odontologia e Serviço Social.
    - Dia 24, das 8 às 11 horas, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Elétrica e Pedagogia; das 14 às 17 horas, Artes Cênicas, Ciências Econômicas, Filosofia e Secretariado Executivo.
    - Dia 25, das 8 às 11 horas, Ciência da Computação, Comunicação Social, Farmácia e Geografia; das 14 às 17 horas, Design de Moda, Educação Física e Esporte.
    - Dia 28, das 8 às 11 horas, Educação Artística, Letras e Música; das 14 às 17 horas, Agronomia, Biomedicina, Enfermagem e Medicina.
    - Dia 29, das 8 às 11 horas, Engenharia Civil, Matemática, Química e Zootecnia; das 14 às 17 horas, Ciência Biológicas, Ciências Contábeis e Física.
    - Dia 30, das 8 às 11 horas, Direito; das 14 às 17 horas, Administração, Biblioteconomia, Design Gráfico e Psicologia.


    Os documentos necessarios para a matricula:
    a) 02 (duas) cópias da Certidão de Nascimento ou Casamento (sem tarja, sem dobras) – (LEGÍVEIS);
    b) 02 (duas) cópias da Carteira de Identidade Civil (RG) ou da Carteira de Identidade e Estrangeiro, frente e verso (como o
    original), numa única peça (LEGÍVEIS);
    c) 01 (uma) cópia do CPF próprio (LEGÍVEL);
    d) 01 (uma) cópia do Título Eleitoral, frente e verso (como o original), numa única peça (LEGÍVEL);
    e) 01 (uma) cópia do Comprovante de Voto da última eleição (LEGÍVEL);
    f) 01 (uma) cópia do Documento Militar, frente e verso (como o original), numa única peça (LEGÍVEL);
    g) 02 (duas) cópias, autenticadas em cartório, do Histórico Escolar com o Certificado de Conclusão do Ensino Médio
    (completo) ou equivalente (LEGÍVEIS);
    h) 02 (duas) cópias, autenticadas em cartório, dos documentos inerentes à Revalidação de Estudos realizados no
    Exterior: Histórico Escolar do Exterior, Tradução Juramentada e Certificado de Revalidação (LEGÍVEIS);
    i) O portador de Diploma de Ensino Médio (Técnico) ou Superior, devidamente registrado, deverá apresentar 02 (duas)
    cópias, autenticadas em cartório, do Diploma, frente e verso (como original), numa única peça (LEGÍVEIS);
    j) 01 (uma) cópia, autenticada em cartório, do Histórico Escolar do Ensino Fundamental (5ª a 8ª séries) para os
    candidatos que optaram pelo Sistema de Cotas (LEGÍVEL);
    k) 01 (uma) foto 3 x 4, frontal, recente, colorida, para identificação estudantil.

    As aulas começam no dia 25 de fevereiro.

    Veja aqui a lista dos aprovados

    Resolução 2ª Fase Fuvest 2008

    Resoluções da Segunda Fase da Fuvest 2008

    Resolução ELITE

    Português - Download

    História - Download

    Química - Download

    Biologia - Download

    Geografia - Download

    Física - Download

    Matemática - Download

    Questões Auto da Barca do Inferno

    1. (FUVEST) Indique a afirmação correta sobre o Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente:

    (A) É intricada a estruturação de suas cenas, que surpreendem o público com a inesperado de cada situação.
    (B) O moralismo vicentino localiza os vícios, não nas instituições, mas nos indivíduos que as fazem viciosas.
    (C) É complexa a critica aos costumes da época, já que o autor primeiro a relativizar a distinção entre Bem e o Mal.
    (D) A ênfase desta sátira recai sobre as personagens populares mais ridicularizadas e as mais severamente punidas.
    (E) A sátira é aqui demolidora e indiscriminada, não fazendo referência a qualquer exemplo de valor positivo.


    2.(FUVEST) Diabo, Companheiro do Diabo, Anjo, Fidalgo, Onzeneiro, Parvo, Sapateiro, Frade, Florença, Brígida Vaz, Judeu, Corregedor, Procurador, Enforcado e Quatro Cavaleiros são personagens do Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente.

    Analise as informações abaixo e selecione a alternativa incorreta cujas características não descrevam adequadamente a personagem.

    (A) O Onzeneiro idolatra o dinheiro, é agiota e usurário; de tudo que juntara, nada leva para a morte, ou melhor, leva a bolsa vazia.
    (B) O Frade representa o clero decadente e é subjugado por suas fraquezas: mulher e esporte; leva a amante e as armas de esgrima.
    (C) O Diabo, capitão da barca do inferno, é quem apressa o embarque dos condenados; é dissimulado e irônico.
    (D) O Anjo, capitão da barca do céu, é quem elogia a morte pela fé; é austero e inflexível.
    (E) O Corregedor representa a justiça e luta pela aplicação integra e exata das leis; leva papéis e processos.


    3. (UNICAMP) Leia o diálogo abaixo, de Auto da Barca do Inferno:

    DIABO
    Cavaleiros, vós passais
    e não perguntais onde ir?

    CAVALEIRO
    Vós, Satanás, presumis?
    Atentai com quem falais!

    OUTRO CAVALEIRO
    Vós que nos demandais?
    Siquer conhecê-nos bem.
    Morremos nas partes d’além,
    e não queirais saber mais.

    (Gil Vicente, Auto da Barca do Inferno, em Antologia do Teatro de Gil Vicente. Org. Cleonice Berardinelli, Rio de Janeiro: Nova Fronteira/ Brasília: INL, 1984, p.89.)

    A) Por que o cavaleiro chama a atenção do Diabo?

    B) Onde e como morreram os dois Cavaleiros?

    C) Por que os dois passam pelo Diabo sem se dirigir a ele?



    4. (PUC) Considerando a peça Auto da Barca do Inferno como um todo, indique a alternativa que melhor se adapta à proposta do teatro vicentino.

    A) Preso aos valores cristãos, Gil Vicente tem como objetivo alcançar a consciência do homem, lembrando-lhe que tem uma alma para salvar.
    B) As figuras do Anjo e do Diabo, apesar de alegóricas, não estabelecem a divisão maniqueísta do mundo entre o Bem e o Mal.
    C) As personagens comparecem nesta peça de Gil Vicente com o perfil que apresentavam na terra, porém apenas o Onzeneiro e o Parvo portam os instrumentos de sua culpa.
    D) Gil Vicente traça um quadro crítico da sociedade portuguesa da época, porém poupa, por questões ideológicas e políticas, a Igreja e a Nobreza.
    E) Entre as características próprias da dramaturgia de Gil Vicente, destaca-se o fato de ele seguir rigorosamente as normas do teatro clássico.


    Gabarito
    1)B
    2)E
    3)RESPOSTAS:

    A) Porque a fala do Diabo revela seu desrespeito para com um Cavaleiro de Cristo, que morre para defender e propagar a fé cristã. Quem defende a causa cristã não vai na Barca do Inferno.

    B) Os dois Cavaleiros morreram nas "partes d’além", em um combate contra os mouros na defesa da Igreja.

    C) Porque estão conscientes da salvação e de que vão na Barca da Glória.

    4)A ,COMENTÁRIOS: Gil Vicente, teatrólogo inserido no Humanismo, ainda mantém forte ligação com os valores medievais, sobretudo os cristãos. Dessa forma, busca a moralização do homem para que este encontre a salvação de sua alma.

    Questões Os Lusíadas

    1. (MACKENZIE-SP) Sobre o poema Os Lusíadas, é incorreto afirmar que:

    a) quando a ação do poema começa, as naus portuguesas estão navegando em pleno Oceano Índico,portanto no meio da viagem;
    b) na Invocação, o poeta se dirige às Tágides, ninfas do rio Tejo;
    c) na ilha dos Amores, após o banquete, Tétis conduz o capitão ao ponto mais alto da ilha, onde lhedescenda a "máquina do mundo";
    d) tem como núcleo narrativo a viagem de Vasco da Gama, a fim de estabelecer contato marítimo com as Índias;
    e) é composto em sonetos decassílabos, mantendo em 1.102 estrofes o mesmo esquemas de rimas.


    2. (FUVEST) Leia os versos transcritos de Os lusíadas, de Camões, para responder ao teste.

    Tu, só tu, puro Amor, com força crua,
    Que os corações humanos tanto obriga,
    Deste causa à molesta morte sua,
    Como se fora pérfida inimiga.
    Se dizem, fero Amor, que a sede tua
    Nem com lágrimas tristes se mitiga,
    É porque queres, áspero e tirano,
    Tuas aras banhar em sangue humano.

    Assinale a afirmação incorreta em relação aos versos transcritos:

    a) A apóstrofe inicial da estrofe introduz um discurso dissertativo a respeito da natureza do sentimento amoroso.
    b) O amor é compreendido como uma força brutal contra a qual o ser humano não pode oferecer resistências.
    c) A causa da morte de Inês é atribuída ao amor desmedido que subjugou completamente a jovem.
    d) A expressão "se dizem" indica ser senso comum a idéia que brutalidade faz parte do sentimento amoroso.
    e) Os versos associam a causa da morte de Inês não só à força cruel do amor, mas também aos perigosos riscos que a jovem inimiga representava para o rei.


    3. (POLI) Camões em alemão

    "Nas pequenas obras líricas de Camões encontramos graça e sentimento profundo, ingenuidade, ternura, melancolia cativante, todos os graus de sentimentos mais debilitados, indo do prazer mais suave até o desejo mais ardente, saudade e tristeza, ironia, tudo na pureza e claridade da expressão simples, cuja beleza não podia ser mais acabada, e cuja flor não podia ser mais florescente. Seu grande poema, "Os Lusíadas", é um poema heróico no pleno sentido da palavra. Camões tira do poeta Virgílio a idéia de um poema épico nacional que compreenda e apresente, sob a luz mais fulgurante, a fama, o orgulho e a glória de uma nação desde suas mais antigas tradições."

    (Esse trecho foi extraído do curso de Friedrich Schlegel (1772-1829), conceituado filósofo romântico alemão, sobre história da literatura européia, e publicado no Caderno Mais da Folha de São Paulo, em 21 de maio de 2000.)

    Tendo em vista o texto acima, seria incorreto afirmar que:

    a) em Os Lusíadas, Camões resgata alguns episódios tradicionais portugueses, como o de Inês de Castro.
    b) em Os Lusíadas, Camões invoca as Tágides, ninfas do rio Tejo, a fim de que lhe dêem inspiração na construção deste seu poema heróico.
    c) em Os Lusíadas, Camões canta a fama e a glória do povo português.
    d) em Os Lusíadas, Camões narra a viagem de Vasco da Gama às Índias, sendo este navegador o grande herói português aclamado no poema.
    e) em Os Lusíadas, Camões dedica o poema a Dom Sebastião, e encerra tal obra um tanto quanto melancólico diante da estagnação cultural portuguesa.


    4. (UNISA) Assinale a alternativa incorreta, em relação a Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões:

    a) Foi publicada em 1572.
    b) Contém 10 cantos.
    c) Contém 1102 estrofes em oitava rima.
    d) Conta a viagem de Vasco da Gama às Índias.
    e) N.d.a.


    5. (UNISA) A obra épica de Camões, Os Lusíadas, é composta de cinco partes, na seguinte ordem:

    a) Narração, Invocação, Proposição, Epílogo e Dedicatória.
    b) Invocação, Narração, Proposição, Dedicatória e Epílogo.
    c) Proposição, Invocação, Dedicatória, Narração e Epílogo.
    d) Proposição, Dedicatória, Invocação, Epílogo e Narração.
    e) N.d.a.

    6. (FUVEST) Leia os textos que seguem.

    Texto I - Mar português

    Ó mar salgado, quanto do teu sal
    São lágrimas de Portugal!
    Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
    Quantos filhos em vão rezaram!
    Quantas noivas ficaram por casar
    Para que fosses nosso, ó mar!
    Valeu a pena? Tudo vale a pena
    Se a alma não é pequena.
    Quem quer passar além do Bojador
    Tem que passar além da dor.
    Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
    Mas nele é que espelhou o céu.

    Fernando Pessoa

    Texto II

    “Em tão longo caminho e duvidoso
    Por perdidos as gentes nos julgavam,
    As mulheres co’um choro piedoso,
    Os homens com suspiros que arrancavam.
    Mães, esposas, irmãs, que o temeroso
    Amor mais desconfia, acrescentavam
    A desesperação e frio medo
    De já nos não tornar a ver tão cedo."

    Camões

    A partir dos trechos e de seus conhecimentos de Os Lusíadas, assinale a alternativa incorreta.

    a) O texto II pertence ao episódio “O velho do Restelo”, de Os Lusíadas, em que Camões indica uma crítica às pretensões expansionistas de Portugal, nos séculos XV e XVI.
    b) Apesar das diferenças de estilo, tanto o texto de Camões quanto o de Fernando Pessoa indicam uma mesma idéia: a de que o caráter heróico das descobertas marítimas exige e justifica riscos e sofrimentos.
    c) O fato de Camões, em Os Lusíadas, lançar dúvidas sobre a adequação das conquistas ultramarinas – o assunto principal do poema – contrapõe-se ao modelo clássico da epopéia.
    d) Ainda que abordem uma mesma circunstância histórica e ressaltem as mesmas reações humanas, o texto de Fernando Pessoa e o episódio “O velho do Restelo” chegam a conclusões diferentes sobre a validade das navegações portuguesas.
    e) Os dois textos referem-se aos sofrimentos que a expansão marítima portuguesa provocou.


    7. (PUC-PR) Sobre o narrador ou narradores de os Lusíadas, é lícito afirmar que:

    a) existe um narrador épico no poema: o próprio Camões;
    b) existem dois narradores no poema: O eu-épico, Camões fala através dele, e o outro, Vasco da Gama, que é quem dá conta de toda a História de Portugal.
    c) o narrador de Os Lusíadas é Luiz Vaz de Camões;
    d) O narrador de os Lusíadas é o Velho do Restelo;
    e) O narrador de Os Lusíadas é o próprio povo português.


    8. (FUVEST) Em Os Lusíadas, as falas de Inês de Castro e do Velho do Restelo têm em comum:

    a) a ausência de elementos de mitologia da Antigüidade clássica.
    b) a presença de recursos expressivos de natureza oratória.
    c) a manifestação de apego a Portugal, cujo território essas personagens se recusavam a abandonar.
    d) a condenação enfática do heroísmo guerreiro e conquistador.
    e) o emprego de uma linguagem simples e direta, que se contrapõe à solenidade do poema épico.


    9. (UFRGS) Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo, relacionadas aos Cantos I a Vda epopéia Os Lusíadas, de Camões:

    ( ) A presença do elemento mitológico é uma forma de reconhecimento da cultura clássica, objeto de admiração e tmitacáo no Renascimento.
    ( )A disputa entre os deuses Vênus e Baco, da mitologia clássica, é um recurso literário de que Camões faz uso para criar o enredo de Os Lusíadas.
    ( ) Do Canto I ao Canto V lêem-se as peripécias da viagem dos portugueses até a sua chegada á India, quando eles tornam posse daquela terra.
    ( ) No Canto II, lê-se a narração da viagem dos portugueses a Melinde, cujo rei pede a Camões que conte a história de Portugal:

    a)V— V— V— F
    b) V — F — F — V
    c) F — V — F — V
    d)F — F — V— F
    e) V — V — F — F


    10. (PUC-SP) Dos episódios Inês de Castro e O Velho do Restelo, da obra Os Lusíadas, de Luiz de Camões, NÃO é possível afirmar que:

    a) O Velho do Restelo, numa antevisão profética, previu os desastres futuros que se abateriam sobre a Pátria e que arrastariam a nação portuguesa a um destino de enfraquecimento e marasmo.
    b) Inês de Castro caracteriza, dentro da epopéia camoniana, o gênero lírico porque é um episódio que narra os amores impossíveis entre Inês e seu amado Pedro.
    c) Restelo era o nome da praia em frente ao templo de Belém, de onde partiam as naus portuguesas nas aventuras marítimas.
    d) tanto Inês de Castro quanto O Velho do Restelo são episódios que ilustram poeticamente diferentes circunstâncias da vida portuguesa.
    e) o Velho, um dos muitos espectadores na praia, engrandecia com sua fala as façanhas dos navegadores, a nobreza guerreira e a máquina mercantil lusitana

    Gabarito

    1)E
    2)E
    3)D
    4)E
    5)C
    6)B
    7)B
    8)B
    9)E
    10)E

    Análise de Os Lusíadas, de Luiz Vaz de Camões

    Análise da obra

    Publicado em 1572 sob a proteção do Rei D. Sebastião, o poema épico Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões, tem como assunto central a viagem de Vasco da Gama às Índias (1497 - 1498). As perigosas viagens por mares nunca dantes navegados, o contato com povos e costumes diferentes, a exaltação do homem-herói (navegador, soldado, aventureiro, cavaleiro e amante) encontram, na euforia antropocêntrica do Renascimento, um instante oportuno para o sentimento heróico e conquistador, não apenas dos portugueses, mas de toda Europa quinhentista.

    Obra de cunho enciclopédico, o poema narra, além da descoberta do caminho marítimo para as Índias, as grandes navegações portuguesas, a conquista do Império Português do Oriente e toda a história de Portugal, seus reis, seus heróis e as batalhas que venceram. Paralelamente a essa dupla ação histórica (a viagem de Vasco da Gama e a história de Portugal), desenvolve-se uma importantíssima ação mitológica: a luta que travam os deuses olímpicos (o "maravilhoso pagão"), contrapondo Vênus e Marte (favoráveis aos lusos) a Baco e Netuno (contrários às navegações).

    Os Lusíadas fundem harmoniosamente os ideais renascentistas, imperialistas e nacionalista de expansão do Império, com a ideologia medieval, feudal e conservadoras; a mitologia pagã com o ideal cristão; o tom épico na exaltação dos feitos dos navegadores e guerreiros e o tom lírico do amor trágico de Inês da Castro; a objetividade e a subjetividade; o ufanismo e o espírito crítico; o espírito clássico com acentos maneiristas e antecipação barroca.

    O poema divide-se em 10 cantos. Cada canto contém em média 100 estrofes ou estâncias. O canto III é o mais curto, com 87 estrofes; o canto X é o mais longo, com 156 estrofes. O poema todo compõe-se de 1.102 estrofes ou estâncias. Cada uma delas contém regularmente 8 versos (oitavas). O poema totaliza 8.816 versos, decassílabos (medida nova), predominando os decassílabos heróicos, com a 6ª e a 10ª sílabas tônicas. Há também alguns decassílabos sáficos, com a 4ª, a 8ª e a 10ª sílabas tônicas.

    Os Lusíadas são o maior poema da língua portuguesa e a maior expressão de sua excelência literária. Camões soube elaborar uma linguagem suficientemente rica e maleável, elegante e sonora, com que exprimiu tanto os feitos heróicos e altissonantes, como as dolorosas súplicas de Inês de Castro diante de seus algozes ou o desconsolo do eu-poemático diante do "desconcerto do mundo" e da decadência de seu país.

    Os Lusíadas tem cinco partes, como a tradição clássica impõe a uma epopéia:

    1 - Proposição - É a apresentação do poema, a síntese do assunto. Ocupa as três primeiras estrofes. Evidencia algumas características fundamentais da obra: o caráter coletivo do herói, a valorização do homem (antropocentrismo), a sobrevivência do "ideal cruzada", a valorização da Antigüidade clássica, o nacionalismo (ufanismo), sintaxe rica e complexa.

    2 - Invocação das Tágides - É o pedido de inspiração às musas. Camões elege como suas inspiradoras as Tágides, ninfas do rio Tejo, "nacionalizando" suas musas.

    3 - Dedicatória ao Rei D. Sebastião - É como menino ainda, como dádiva de Deus, que Camões apresenta D. Sebastião na dedicatória. O jovem rei assumiu o trono aos 14 anos, em 1568, e como a redação do poema consumiu mais de 12 anos, Camões não deixa de observar que ele é "novo no ofício" e disso abusam seus conselheiros. O fato do jovem rei ser exaltado como símbolo e esperança da pátria, não impede de o poeta critique as intrigas palacianas e a ambição de mando e de riqueza dos jesuítas e seus aliados.

    4 - Narração - A narração de Os Lusíadas compreende três ações principais: a viagem de Vasco da Gama às Índias, a narrativa da história de Portugal e as lutas e intervenções dos deuses do Olimpo. São, portanto, duas ações históricas e uma ação mitológica que se alternam e se interpenetram no poema. A narrativa começa já no meio da aventura do herói, quando Vasco da Gama e os navegadores estão em pleno Oceano Índico, na costa leste da África, próximo ao Canal de Moçambique. A narrativa histórica termina com a partida de Calicute. Camões não narra o regresso a Lisboa. Os acontecimentos anteriores são relatados por discursos dos protagonistas humanos (Vasco da Gama e seu irmão Paulo da Gama), e os acontecimentos futuros são anunciados por deuses ou outras personagens com o dom da profecia. Nessa profusão de episódios históricos, mitológicos, proféticos, simbólicos, líricos, guerreiros e romanescos, Camões entremeia descrições de fenômenos naturais (a tromba marítima, o fogo-de-anselmo etc) e freqüentes dissertações poéticas sobre a moral, sobre a desconsideração de seus contemporâneos pela poesia, sobre o verdadeiro valor da glória, sobre a onipotência do ouro e da riqueza e sobre o destino de Portugal. É uma verdadeira enciclopédia de Portugal e do homem renascentista.

    5 - Epílogo - Contém as lamentações e críticas do poeta, suas exortações ao Rei D. Sebastião e os vaticínios sobre as futuras glórias portuguesas. São as doze últimas estrofes do poema. Contrastando com o tom vibrante e ufanista do início, o tom agora é de pessimismo, desencanto e de crítica à decadência do país e aos portugueses de seu tempo, esquecidos dos valores nacionais. É uma clara premonição da derrocada de Portugal, submetido em 1580 ao domínio espanhol, e da retratação do Império do Oriente. Há ainda o sentido de desabafo de Camões, que se queixa da incompreensão e das privações pelas quais parece ter passado em seus últimos anos de vida.

    Enredo dos Cantos

    Canto I e II - Após as partes introdutórias e a rápida apresentação dos navegadores em pleno Oceano Índico, narra-se o Consílio dos Deuses no Olimpo. Convocados por Júpiter, os deuses irão deliberar sobre o destino dos novos argonautas. Baco é contrário aos portugueses, pois teme que eles superem seus feitos no Oriente. Vênus, e depois Marte, toma a defesa dos lusos. Júpiter encerra o consílio, decidindo a favor das navegadores. Baco, inconformado, resolve agir. Assumindo a formas humana de um velho sábio, instiga o governador de Moçambique contra os portugueses, põe a bordo da esquadra um traidor, falso piloto, arma ciladas em Quiloa e Mombaça. Graças às intervenções de Vênus, das nereidas, de Mercúrio e à coragem e astúcia de Vasco da Gama, os portugueses chegam a Melinde, terra de muçulmanos que, por obra de Mercúrio, enviado por Júpiter, a pedido de Vênus, tinham se tornado simpáticos aos portugueses. Durante os perigos e provações, o capitão roga a proteção da Providência Divina e agradece por ela ao Deus cristão, mas quem atende às suas preces é Vênus, divindade pagã, meiga e sedutora, deusa do amor, que convence Júpiter a ajudar seus protegidos. Paganismo e cristianismo juntos, sem qualquer constrangimento.

    Nota: Essa ação mitológica, a disputa entre Vênus e Baco, tem o propósito de elevar os navegadores à condição de semi-deuses. Numa clara alegoria, os portugueses, senhores do amor e da guerra, protegidos por Vênus e Marte, triunfam sobre os oceanos (Netuno) e sobre seus adversários no Oriente (Baco).

    Canto III - Após Camões invocar a inspiração de Calíope, musa grega da poesia épica, Vasco da Gama começa a contar ao rei Melinde a história de Portugal. Principia pela localização geográfica do país no mapa da Europa: “Eis aqui quase cume da cabeça / De Europa toda, o Reino Lusita no / Onde a terra se acaba e o mar começa / E onde Febo repousa no Oceano” (Lus., III. 20). Fala das origens de Portugal, do primeiro herói, Viriato, o Pastor da Serra da Estrela, que resistiu à dominação romana. Na Guerra de Reconquista, que os povos já cristianizados moveram contra árabes invasores, no século XII, surge o Reino de Portugal e a Primeira Dinastia, a Casa de Borgonha. O terceiro canto contém a história de todos os reis dessa dinastia, destacando-se seu fundador, Afonso Henriques de Borgonha. vencedor da Batalha de Ourique, contra os árabes, ao lado de Egas Moniz, símbolo nacional de lealdade e honradez. Ainda sob a Dinastia de Borgonha, no reinado de D. Afonso IV, ocorre o episódio de Inês de Castro, aquela“que depois de ser morta foi rainha".

    Canto IV - Vasco da Gama prossegue a narrativa da história de Portugal, concentrando-se na Segunda Dinastia, a Casa de Avis. Fala da Revolução de Avis (1383 - 1385), de seu grande herói, D. Nuno Álvares Pereira, da Batalha de Aljubarrota e de D. João I, Mestre de Avis, que funda o Estado Nacional Português, consolida a centralização monárquica e inicia a expansão ultramarina, com a Tomada de Ceuta, em 1415. A partir do reinado de D. Manuel I, o Venturoso, Vasco da Gama começa a narrar os episódios preliminares de sua viagem. D. Manuel tivera um sonho profético: os rios Indo e Canges, sob forma de dois anciões, profetizam os sucessos e perigos que os portugueses enfrentariam no Oriente. Estimulado por esse sonho, D, Manuel I pede a Vasco da Gama que monte uma esquadra para concretizar a profecia. Na partida das naus da praia de Belém, um ancião, o Velho do Restelo, faz uma enfática advertência contra as navegações portuguesas.

    Canto V - Vasco da Gama conclui a narrativa de sua viagem até Melinde. Fala da partida da esquadra, do Cruzeiro do Sul, descreve o fogo-de-santelmo, depois uma tromba marítima na costa da Guiné, e a aventura cômica de Veloso. Perto da África do Sul, na travessia do Cabo das Tormentas, os portugueses defrontam-se com o Gigante Adamastor, monstro disforme que simboliza a superação do medo do “Mar Tenebroso” e o domínio do homem sobre as crendices medievais e sobre a natureza. De volta a Melinde, Vasco da Gama conclui o seu relato elogiando a tenacidade portuguesa. Encenando a primeira parte da epopéia, Camões retoma a palavra para lamentar o descaso dos portugueses pela poesia.

    Canto VI - Enquanto os portugueses rumam em direção às Índias, Baco desce ao palácio de Netuno e incita os deuses marinhos contra a esquadra de Vasco da Gama. Novamente Vênus e as nereidas salvam os navegadores. A bordo da nau capitânea, o marinheiro Veloso entretém seus companheiros com a narrativa cavaleiresca de Os Doze de Inglaterra: doze portugueses, liderados pelo Magriço, vão à Inglaterra resgatar a honra de doze donzelas inglesas ultrajadas por doze cavaleiros bretões. Os navegadores avistam Calicute, e o narrador medita sobre o sentido e valor da glória.

    Canto VII e VIII - Vasco da Gama faz contato com as autoridades de Calicute. O samorim (= rei) determina ao catual (= governador) que receba os navegadores. Vasco da Gama desembarca na Índia, visita o samorim e oferece a amizade dos portugueses, em nome de D. Manuel. O catual colhe informações sobre os recém-chegados e, em visita à esquadra, indaga Paulo da Gama acerca do significado das figuras desenhadas nas bandeiras lusas. O irmão do comandante assume a narrativa e conta os feitos dos heróis da pátria (Viriato, D. Afonso Henriques, Egas Moniz, D. Nuno Álvares e outros). Os muçulmanos tramam contra os cristãos portugueses e envenenam as boas relações com o samorim. Novas ciladas. Vasco da Gama é feito prisioneiro. Negocia com o catual sua liberdade, em troca de mercadorias européias. O poeta encerra o oitavo canto com dissertação sobre o poder do dinheiro.

    Canto IX e X - Ainda em Melinde, na partida das naus, dois feitores portugueses que vendiam mercadorias em Calicute são retidos em terra para retardar a partida das naus e permitir que fossem alcançadas e destruídas por uma esquadra muçulmana. Em represália, Vasco da Gama retém a bordo vários mercadores indianos. Trocam-se os feitores portugueses pelos mercadores orientais, o samorim manda devolver as fazendas que os portugueses pagaram como resgate pelo capitão, e os navegadores, cumprida sua missão, iniciam a viagem de regresso a Lisboa. Os historiadores registram ter sido uma viagem acidentada, mas Camões encerra aqui a matéria propriamente histórica do poema. O longo episódio da Ilha dos Amores pertence já ao plano mitológico, fantástico. É o congraçamento entre os homens e os deuses, a elevação dos navegadores à esfera da imortalidade.

    Vênus decide premiar os navegadores e, numa ilha paradisíaca, reúne as nereidas (ninfas marinhas), feridas por Cupido com suas setas, para que ardam de amor pelos portugueses. Estes, deslumbrados com o espetáculo divino, passam a perseguir as ninfas que se deixam alcançar e se entregam, entre gritinhos de prazer. É a mais clara manifestação do pan-erotismo, da idéia de que não há pecado sexual.

    Oh! Que famintos beijos na floresta,
    E que mimoso choro que soava!
    Que afagos tão suaves, que ira honesta,
    Que em risinhos alegres se tornava!
    O que mais passam na manhã e na sesta,
    Que Vênus com prazeres inflamava,
    Melhor é exp’rimentá-lo que julgá-lo;
    Mas julgue-o quem não pode exp’rimentá-lo.
    (Lus., IX, 83)

    Após um banquete oferecido por Tétis e pelas ninfas, uma delas, Sirena (ou sereia), anuncia as futuras conquistas portuguesas. Tétis conduz Vasco da Gama a uma elevação e mostra a ele a Máquina do Mundo, réplica em miniatura do sistema solar, segundo a teoria geocêntrica de Ptolomeu, e que somente os deuses podiam contemplar. Descobrindo o orbe terrestre, Tétis aponta os lugares onde os portugueses ainda se farão presentes. Aí, sem que se dê particular importância, fala-se do Descobrimento do Brasil.

    Mas cá onde mais se alarga, ali tereis
    Parte também, com pau vermelho nota;
    De Santa Cruz o nome lhe poreis;
    Descobri-la-á a primeira vossa frota.
    (Lus.. X, 140)

    Na estrofe 144 do 10º canto, os portugueses estão de volta a Lisboa. Segue-se o epílogo do poema.

    Nota: A obra Os Lusíadas passaram pela censura inquisitorial, desafiando o espírito da Contra-Reforma, as convenções moralistas e repressoras da corte, orientada pelos jesuítas. A publicação deveu-se ao empenho de alguns admiradores de Camões: D. Manuel de Portugal, Dona Francisca de Aragão (amiga íntima da rinha), os dominicanos, a quem não deviam desagradar as críticas do poema aos jesuítas. O censor da obra, o frei dominicano Bartolomeu Ferreira, não só aprovou a obra como também a elogiou.

    Fonte: Passeiweb

    Lista de aprovados Mackenzie 2008

    Matrícula deve ser feita no sábado 12 de janeiro das 9h às 15h.
    A lista dos aprovados em segunda chamada será divulgada no dia 18.
    Terceira chamada ainda não tem previsão para sair.

    A Universidade Presbiteriana Mackenzie , em São Paulo, divulgou nesta quinta-feira 10 janeiro a relação dos aprovados em primeira chamada no vestibular 2008. Inicialmente, a instituição havia informado que divulgaria a lista somente no dia 11 de janeiro

    Documentos Necessarios para a Matricula:

    Certificado de conclusão do ensino médio;
    Histórico escolar do ensino médio;
    Cédula de identidade;
    Uma foto 3x4, recente;
    CPF
    Atestado médico de aptidão física para atividades esportivas (unicamente para os candidatos ao curso de educação física).

    Clique aqui para consultar a lista de aprovados


    Fonte

    Exercícios Segunda Guerra Mundial


    Caso queira relembrar alguns dos fatos mais importantes da segunda guerra clique nesse link e visualize um resumo.

    1.(UFMG) No período de 1948 e 1952, mudanças na conjuntura internacional obrigaram os EUA a alterar sua política em relação ao Japão. Essa alteração ocasionou o fim da intervenção americana naquela país. Assinale a alternativa que apresenta fatores que motivaram a alteração da política americana em relação ao Japão:
    a)O surgimento da Cortina de Ferro e o conflito Tito-Stalin
    b)A ascensão de Nikita Kruchev na URSS e a invasão da Hungria pelos soviéticos
    c)Os conflitos da Coréia e do Vietnã
    d)O macartismo e a criação do Kominform
    e)O advento da guerra fria e a Revolução Chinesa

    02. Os Estados Unidos iniciaram sua participação na Segunda Guerra Mundial motivados pelo(a):
    a)ataque japonês à base naval americana de Pearl Harbor
    b)invasão da França por tropas italianas
    c)política de implantação do Plano Marshall, que favorecia a industrialização do país
    d)apoio dado pela Onu aos países latino-americanos participantes do conflito
    e)afundamento, no Oceano Pacífico, de navios de países aliados, como o Brasil

    03. (FUVEST) "Esta guerra, de fato, é uma continuação da anterior." (Winston Churchill, em discurso feito no Parlamento em 21 de agosto de 1941)
    A afirmativa acima confirma a continuidade latente de problemas não solucionados na Primeira Guerra Mundial, que contribuíram para alimentar antagonismos e levaram à eclosão da Segunda Guerra Mundial.
    Entre esses problemas, identificamos:
    a)o desenvolvimento do imperialismo chinês da Ásia, com abertura para o Ocidente
    b)a divisão da Alemanha, que a levou a uma política agressiva de expansão marítima
    c)o crescente nacionalismo econômico e o aumento da disputa por mercados consumidores e por áreas de investimentos
    d)os antagonismos austro-ingleses em torno da questão da Alsácia-Lorena
    e)a oposição ideológica que fragilizou os vínculos entre os países, enfraquecendo todo tipo de nacionalismo

    04. Assinale a alternativa errada no contexto da Segunda Guerra Mundial:
    a)A anexação da região dos Sudetos, na Tchecoslováquia, pelos alemães
    b)A crise do Corredor Polonês, que culminou com a invasão da Polônia por tropas nazista
    c)A anexação da Albânia pelas tropas fascistas italianas
    d)A invasão, pelos japoneses, de regiões chinesas de grande importância econômica
    e)A vitória alemã na batalha de Stalingrado, que consolidou a hegemonia alemã

    05. (UFPE) Em torno de fatos relacionados com a Segunda Guerra Mundial, estabeleça a correspondência:
    1. Blitzkrieg ( ) Guerra relâmpago.
    2. Kamikaze ( ) Cidade arrasada pela bomba atômica.
    3. A Grande Aliança ( ) Piloto suicida utilizado pela aviação japonesa.
    4. As nações do Eixo ( ) Inglaterra, União Soviética e Estados Unidos.
    5. Nagasaki ( ) Japão, Itália e Alemanha.
    a)1, 5, 2, 4 e 3
    b)1, 5, 2, 3 e 4
    c)1, 2, 5, 4 e 3
    d)4, 5, 2, 3 e 1
    e)2, 3, 5, 4 e 1

    06. (UNITAU) O fato concreto que desencadeou a Segunda Guerra Mundial foi:
    a)a invasão da Polônia por tropas nazistas e a ação da Inglaterra e da França em socorro de sua aliada, declarando guerra ao Terceiro Reich
    b)a efetivação do "Anschluss", que desmembrou a Áustria da Alemanha
    c)a invasão da Polônia por tropas alemãs, quebrando o Pacto Germano-Soviético
    d)a saída dos invasores alemães do território dos Sudetos, na Checoslováquia
    e)a tomada do "Corredor Polonês" que desembocava na cidade-livre de Dantzig (atual Gdanki), pelos italianos

    07. (UFRN) Em relação à Segunda Guerra Mundial, é correto afirmar que:
    a)os norte-americanos permaneceram neutros na guerra até 1941, quando bombardearam Hiroshima e Nagasaki
    b)de Gaulle foi o chefe do governo de Vichy
    c)com o ataque alemão a Pearl Harbor, os norte-americanos resolveram entrar na guerra
    d)Hitler empreendeu uma implacável perseguição aos judeus, que resultou na morte de seis milhões de pessoas

    08. (UEMT) A Segunda Grande Guerra (1939 - 1945) adquiriu caráter mundial a partir de 7 de dezembro de 1941, quando:
    a)os chineses cederam a maior parte de seu território às tropas do Eixo
    b)os franceses, por determinação do marechal Pétain, ocuparam o Sudeste da Ásia
    c)os russos tomaram a iniciativa de anexar os Estados Bálticos
    d)os alemães invadiram o litoral mediterrâneo da África
    e)os japoneses atacaram a base norte-americana de Pearl Harbor


    Gabarito

    01)E
    02)A
    03)C
    04)E
    05)B
    06)A
    07)D
    08)E

    Prova 2ª Fase FUVEST 2008

    Português - Download

    Química - Download

    História - Download

    Biologia - Download

    Geografia - Download

    Física - Download

    Matemática - Download

    MOVIMENTO UNIFORMEMENTE VARIADO

    Definição e Conceito

    Dizemos que um movimento é uniformemente variado quando a aceleração escalar é constante e diferente de zero.



    Equação do M.U.V.
    Consideremos uma partícula em M.U.V. de aceleração escalar . No instante t = 0 a partícula tem espaço so (espaço inicial) e velocidade escalar vo (velocidade inicial). Num instante posterior t qualquer a partícula tem espaço s e velocidade escalar v.




    Como a aceleração escalar é constante temos:



    Esta última equação é chamada de equação horária da velocidade escalar do M.U.V.

    Para obter a equação horária do espaço é necessário aplicar a teoria das derivadas e integrais, que não faz parte do programa do vestibular. Assim vamos apresentar essa equação sem demonstração:



    As equações anteriores são suficientes para resolver qualquer problema de M.U.V. No entanto, em certos casos, o problema é resolvido mais rapidamente usando uma equação, conhecida pelo nome de “Equação de Torricelli”, que é obtida a partir das equações horárias do espaço e da velocidade escalares.



    Generalizando:



    Propriedade do M.U.V.
    Entre dois instantes quaisquer ti e tf, vale a seguinte igualdade:




    Movimentos Acelerado e Retardado
    Dizemos que um movimento é acelerado quando o módulo da velocidade escalar aumenta com o tempo. Dizemos que o movimento é retardado quando o módulo da velocidade diminui com o tempo.

    movimento acelerado -> |v| aumenta

    movimento retardado -> |v| diminui

    Analisando os sinais de v e , concluímos que:

    a) Num movimento acelerado, a velocidade escalar (v) e a aceleração escalar () têm o mesmo sinal, isto é, ou são ambas positivas ou ambas negativas;

    b) Num movimento retardado a velocidade escalar (v) e a aceleração () têm sinais contrários:

    Resumindo:



    Na regra prática se a velocidade e a aceleração têm o mesmo sinal (< ou >), significa que o movimento é acelerado, entretanto se os sinais da velocidade e aceleração são opostos, significa que o movimento é retardado.

    Aceleração Escalar Instantânea ()



    Aceleração Escalar Média (m)
    Consideremos uma partícula que tem velocidade escalares vA e vB nos instantes tA e tB, respectivamente, com tB > tA. Definimos a aceleração média (m) entre os instantes tA e tB por:



    Generalizando


    O que é a escala Richter?


    A escala Richter foi criada pelo norte-americano Charles F. Richter em 1935 como parte de seus estudos sobre os abalos sísmicos freqüentes que ocorrem no sul da Califórnia. Ele desenvolveu uma forma matemática de quantificar a magnitude dos terremotos a partir das informações obtidas com um sismógrafo, aparelho que registra os movimentos das placas tectônicas que recobrem a superfície do planeta. A escala criada por Richter se baseia nos gráficos registrados durante o terremoto propriamente dito. A medida da amplitude desses gráficos em milímetros determina a magnitude dos terremotos em uma escala logarítmica de 0 a 10, segundo uma fórmula matemática. Isso significa que um abalo de magnitude 4 é dez vezes maior que um de magnitude 3 e assim sucessivamente.
    O maior terremoto já registrado tinha magnitude 8.

    Sismógrafo


    1 - As movimentações das placas tectônicas são registrada na forma desse gráfico. A amplitude (na vertical) desses traços é usada no cálculo da magnitude ou intensidade dos abalos
    2 - O tempo para que os gráficos no sismógrafo registrem o terremoto a partir de seus primeiros tremores é utilizado na localização do seu epicentro

    Resumo Simbolismo




    Cruz e Sousa


    Principais Características:

  • Poesia

  • Sem participação social

  • Impessoalidade

  • Descrição de forma subjetiva(sentimentos)

  • Utilização de sinestesia, metáforas e símbolos

  • Semi-livre ( forma: soneto com rimas e musicalidade )

  • Mulher descrita através da lembrança, saudade , morte e astros )

  • Morte sempre eminente

  • Só a arte pode enfrentar a morte

  • Poeta comparado ao louco ( sentimento, psicológico)

  • Elementos da natureza e figuras mitológicas como símbolos

  • Correspondência do concreto com o abstrato

  • Principais autores: Cruz e Sousa , Aphonsus de Guimarães

  • Principal poesia: Broquéis
  • Resumo Parnasianismo



    Principais Características:

  • Poesia

  • Sem participação social

  • Impessoalidade

  • Descrição de forma objetiva

  • Linguagem formal e amor pela perfeição formal(métrica, formas fixas), vocabulário rico

  • Mulher descrita pelas formas ( sensual)

  • Arte pela arte

  • Poeta comparado ao ourives

  • Temática: Antiguidade, Mitologia e Bíblia

  • Não apresenta melodias

  • Principal Poesia: Profissão de Fé de Olavo Bilac

  • Principais Autores: Alberto de Oliveira, Olavo Bilac e Raimundo Correia
  • MOVIMENTO UNIFORME

    Definição e Conceitos

    Consideremos uma partícula em movimento. Diremos que esse movimento é uniforme se a velocidade escalar for constante.



    Equação Horária

    Vamos fixar a nossa atenção sobre uma partícula em movimento uniforme, com velocidade escalar v. Suponhamos que no instante t = 0 seu espaço seja so e num instante posterior t qualquer seu espaço seja s.



    A velocidade escalar média nesse trecho é dada por:



    Mas, como a velocidade escalar é constante, seu valor médio em qualquer intervalo de tempo coincide com seu valor instantâneo:



    Desta última igualdade obtemos:



    Esta última equação é conhecida por equação horária do espaço para o movimento uniforme.

    Gráficos

    A equação horária do espaço de um M.U. é s = so + vt, isto é, é uma equação do primeiro grau em s e t. Portanto, o gráfico de s em função de t (s x t) é retilíneo.



    Como a velocidade escalar é constante, o gráfico da velocidade em função do tempo é uma reta paralela ao eixo dos tempos:



    Em um M.U. a aceleração escalar é nula; portanto o gráfico da aceleração em função do tempo é:

    Questões Propriedades Coligativas

    1- (FUVEST) Aquece-se uniformemente uma solução aquosa de cloreto de sódio sob pressão de uma atmosfera. Qual dos gráficos a seguir melhor representa a temperatura da solução em função do tempo?





    2- (FUVEST) As temperaturas de início de solidificação de três soluções A, B e C são, respectivamente, Ta, Tb e Tc.

    As soluções em questão são aquosas, de mesma molaridade, e seus respectivos solutos são ácido acético, cloreto de hidrogênio e sacarose. Assim, pode-se afirmar que:

    a) Ta = Tb = Tc
    b) Ta > Tb > Tc
    c) Tb > Ta > Tc
    d) Ta = Tb > Tc
    e) Tc > Ta > Tb


    Gabarito

    1- Alternativa c

    2- Alternativa e

    Propriedades coligativas

    A presença de um soluto não volátil modifica as propriedades físicas do solvente utilizado na solução. Essas alterações são chamadas propriedades coligativas. As principais são:

    • Diminuição da pressão máxima de vapor: Tonoscopia.
    • Aumento da temperatura de ebulição: Ebulioscopia.
    • Diminuição da temperatura de congelamento: Crioscopia.
    • Aumento da pressão osmótica: Osmometria.


    Para entender essas alterações:

    Pressão de Vapor: Pressão máxima de vapor de um líquido é a pressão que seu vapor exerce sobre a massa líquida, em um recipiente fechado. Este valor aumenta com a Temperatura e a Volatilidade do líquido.

    Temperatura de Ebulição: um líquido só entra em ebulição quando, devido ao aumento de temperatura, sua pressão de vapor se igualar à pressão atmosférica do local. Assim, quanto maior a pressão de vapor de um líquido, menor sua temperatura de ebulição, pois irá se igualar à pressão atmosférica com maior facilidade.

    • Atenção! É por isso que temperatura de ebulição é mais alta em lugares onde a pressão atmosférica é maior, como ao nível do mar.

    Ebulioscopia: A adição de soluto não volátil dificulta a evaporação do solvente e a pressão máxima de vapor diminui, logo será necessário maior aquecimento para que a solução entre em ebulição, provocando o aumento na Temperatura de Ebulição.

    Crioscopia: Analogamente, será necessário maior resfriamento para que a solução congele, provocando a diminuição na Temperatura de Congelação.

    Osmose: Fenômeno que permite a passagem do solvente do meio mais diluído para o meio mais concentrado através de uma membrana semipermeável, impedindo a passagem do soluto.
    Pressão Osmótica (¶) é a pressão exercida sobre uma solução para que a osmose não ocorra. É calculada por: ¶= M . R . T . i , onde
    R é a constante de Clapeyron,
    i = fator de correção de Van’t Hoof
    T = Temperatura em Kelvin
    M = Concentração molar

    Atenção: Soluções isotônicas possuem a mesma pressão osmótica.

    Atenção!
    O aluno deve se preocupar com a parte qualitativa e não quantitativa. É importante saber que, quanto maior o número de partículas dissolvidas, maior o efeito coligativo, valendo a expressão abaixo para solutos 100 % dissociados:

    Efeito Coligativo = M . i
    ou seja o efeito coligativo é proporcional à concentração molar da solução (M) multiplicado pelo fator de correção de Van’t Hoff (i)
    Para solutos iônicos, 100% dissociados, devemos considerar o fator de correção de Van’t Hoff (i), numericamente igual ao número de íons.

    Solução 1:
    Soluto Molecular , i = 1, pois a molécula não se separa em íons
    1 mol/L de glicose (C6H12O6) 1 mol de partículas dissolvidas em 1 litro de solução.
    Efeito Coligativo = 1mol/L x 1 = 1

    Solução 2:
    1 mol/L de NaCl 100% dissociado , i = 2
    (NaCl Na+ + Cl-) 2 mols de partículas (1 mol de Na+ + 1 mol de Cl-) dissolvidas em 1 litro de solução.
    Efeito Coligativo = 1mol/L x 2 = 2

    Solução 3: 1 mol/L de AlCl3 100% dissociado, i = 4
    (AlCl3 Al3+ + 3Cl-) 4 mols de partículas (1 mol de Al3+ + 3 mols de Cl-)dissolvidas em 1 litro de solução.
    Efeito Coligativo = 1mol/L x 4 = 4

    Conclui-se, então, que a solução 3 apresentará a maior elevação da temperatura de ebulição e também o maior abaixamento da temperatura de congelamento, pois possui maior número de partículas dissolvidas.

    CANAL DO PANAMÁ


    O Canal do Panamá possui seis eclusas para que os navios possam ultrapassar o Istmo do Panamá, mais alto que o nível do mar, e para compensar o desnível de mais de 3 m entre os oceanos Atlântico e Pacífico. O navio entra nas sucessivas eclusas, que se enchem para elevá-lo ao nível seguinte, até atingir o ponto mais alto do canal, o Lago de Gatún. Depois, elas são esvaziadas para levá-lo ao nível do oceano.


    Canal artificial construído pelos EUA no Panamá (América Central), para ligar os oceanos Atlântico e Pacífico por meio do Istmo do Panamá. Tem 82 km de extensão e seis eclusas que elevam os navios a até 26 m acima do nível do mar e compensam o desnível de mais de 3 m entre os dois oceanos. A travessia demora de 8 a 10 horas. A construção do canal reduziu drasticamente o percurso entre os dois oceanos, o que antes só era possível pelo Estreito de Magalhães, no extremo sul da América do Sul.

    As obras começaram em 1881 sob a direção do construtor francês Ferdinand de Lesseps, que havia feito o Canal de Suez. Foram suspensas em 1889, com a falência da Compagnie Universelle du Canal Interocéanique. Depois da independência do Panamá (1903) e do arrendamento perpétuo de uma faixa de seu território aos EUA – a Zona do Canal, com 1.676 km2 –, os norte-americanos retomaram as obras em 1904 e concluíram o canal em 1914. Por acordo de 1977, os EUA passaram ao Panamá o controle definitivo do canal em 31 de dezembro de 1999.

    Exercicio de Interpretação de texto - 3

    Leias o trechos a seguir do texto e responda as questões de 19 e 25:

    O bom selvagem e a sociedade cruel
    Roberto Campos


    7º Parágrafo:
    Não se está aqui, pretendendo debater a tese do "gene egoísta", conforme a polêmica expressão de Richard Dawkins. Nem se uma eficiente engenharia social é viável. Penso nessas questões porque me preocupo com o simplismo obtuso de inculpar-se a sociedade por todos os males possíveis e imagináveis: da seca do Nordeste à ignorância e às desigualdades. Carências há, sem dúvida. Mas podem ser relativas, criadas pela insaciabilidade das veleidades humanas. Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. E em São Paulo, presos condenados tocaram fogo nas celas porque queriam televisão a cabo e ar-condicionado!...

    19) Segundo o autor:
    a) A sociedade é a grande culpada pelos males que assolam a nação brasileira.
    b) É errado atribuir à sociedade a culpa por todos os males que afligem a nação.
    c) A sociedade é insaciável, por isso ocorrem tantos males na nação.
    d) As carências existentes na sociedade são todas relativas, por isso não devem ser levadas a sério.
    e) Há grande preocupação com a simplicidade existente na sociedade, pois é isso que cria a ignorância e as desigualdades.

    20) É certo afirmar que:
    a) há, no texto, uma crítica aos americanos, devido à inveja que eles têm de seus vizinhos.
    b) o autor não acredita que haja carência verdadeira no Nordeste.
    c) Os únicos males possíveis e imagináveis do Brasil são a Seca do Nordeste, a ignorância e as desigualdades.
    d) Todas as penitenciárias de São Paulo deixam de atender os pedidos dos presos condenados.
    e) Muitas carências são criadas pelo desejo leviano de o homem querer ter mais do é necessário.

    21) A frase que altera a idéia básica da frase "Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado." é:
    a) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, mas um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
    b) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao mesmo tempo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
    c) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, enquanto um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
    d) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, no entanto um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
    e) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, quando um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.

    8º Parágrafo:
    Há século e meio, Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa. A idéia não passou no "provão" da história. As desigualdades nas sociedades modernas provêm sobretudo de que alguns conseguem maior produtividade, e acumulam mais, por conta do que produzem. Bill Gates começou na garagem de casa com talento e informação, e se fez multibilionário com suas inovações tecnológicas. O mistério do progresso está na inovação e na acumulação. A acumulação aumenta a desigualdade em relação ao que não acumulou. Há dois séculos passados, as diferenças de renda per capita entre os países ricos e os mais pobres eram de duas ou três vezes. O crescimento da produtividade dos atuais países industrializados, entre 1820 e 1913, foi quase sete vezes maior do que entre 1700 e 1820, e a renda real per capita cresceu três vezes no período. Hoje, a diferença entre a Suíça e o Burundi, é de 390 vezes, e entre a média dos industrializados e a dos de mais baixa renda, é de 74 vezes. Possivelmente, o fator mais perverso terá sido o crescimento populacional descontrolado, que condenou os subdesenvolvidos a carregar água em peneira.

    22) Considerando-se o texto, é incorreto afirmar que:
    a) Entre 1820 e 1913, o crescimento da renda per capita dos atuais países industrializados foi proporcional ao crescimento da produtividade dos mesmos países.
    b) Modernamente a teoria de Marx não mais é aceita como verdadeira.
    c) O fato de que alguns conseguem maior produtividade e, conseqüentemente, acumulam mais por conta do que produzem é fundamental para existir a desigualdade.
    d) A inovação e a acumulação são fatores preponderantes para a subsistência do progresso.
    e) É provável que o crescimento populacional descontrolado seja o fator mais importante para o aumento das desigualdades sociais.

    23) "Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa." Os elementos destacados têm a mesma função sintática que os da frase:
    a) O crítico proferiu palavras discordantes das obras do artista.
    b) O partido desagregado dos fundamentos da Pátria não deve ser respeitado pelo eleitor.
    c) A abonação de suas faltas pela diretoria foi justíssima.
    d) Luiz da Cunha era estranho às apressadas solicitudes da Viscondessa de Bacelar com o futuro de sua filha.
    e) A algazarra dos soldados foi interrompida com a chegada do correio.

    24) Em relação à frase "Há dois séculos passados...", retirada do texto, é certo afirmar que:
    a) Está absolutamente certa.
    b) Está errada, pois o verbo haver deveria estar no plural.
    c) Está errada, pois, como o verbo haver já indica tempo decorrido, não se deveria usar o adjetivo passado.
    d) O verbo haver deveria ser substituído pelo verbo fazer, sem qualquer outra mudança na frase.
    e) Está errada, pois, como o verbo haver é impessoal, o adjetivo passado também deveria estar no singular.

    9º Parágrafo:
    Os governos já nos tungam uma proporção altíssima do PIB, superior à de qualquer país em desenvolvimento. No entanto, União, Estados e municípios estão reduzidos quase à indigência, e não cumprem direito suas funções sociais. É preciso que se diga que a carga fiscal reinante em nosso manicômio tributário é exagerada para nosso nível de renda. A partir de certo patamar, tributar mais reduz a produtividade e a competitividade, piorando ao invés de melhorar as oportunidades de emprego. O problema social brasileiro não se resolve gastando mais e sim gastando melhor.

    25) Nesse parágrafo o autor:
    a) critica a ação do governo em relação ao aumento exagerado dos tributos no país.
    b) argumenta favoravelmente ao governo no tocante ao aumento de impostos no país.
    c) julga improcedente a discussão acerca do cumprimento das funções sociais do Estado.
    d) acredita que o patamar mais elevado da produtividade está no tributar mais e reduzir a competitividade no mercado.
    e) comenta que o nível de renda brasileira é baixo devido ao aumento dos impostos no país.

    Gabarito

    19)b
    20)e
    21)e
    22)a
    23)c
    24)c
    25)a

    Ocorreu um erro neste gadget