Exercicio de Interpretação de texto - 3

Leias o trechos a seguir do texto e responda as questões de 19 e 25:

O bom selvagem e a sociedade cruel
Roberto Campos


7º Parágrafo:
Não se está aqui, pretendendo debater a tese do "gene egoísta", conforme a polêmica expressão de Richard Dawkins. Nem se uma eficiente engenharia social é viável. Penso nessas questões porque me preocupo com o simplismo obtuso de inculpar-se a sociedade por todos os males possíveis e imagináveis: da seca do Nordeste à ignorância e às desigualdades. Carências há, sem dúvida. Mas podem ser relativas, criadas pela insaciabilidade das veleidades humanas. Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. E em São Paulo, presos condenados tocaram fogo nas celas porque queriam televisão a cabo e ar-condicionado!...

19) Segundo o autor:
a) A sociedade é a grande culpada pelos males que assolam a nação brasileira.
b) É errado atribuir à sociedade a culpa por todos os males que afligem a nação.
c) A sociedade é insaciável, por isso ocorrem tantos males na nação.
d) As carências existentes na sociedade são todas relativas, por isso não devem ser levadas a sério.
e) Há grande preocupação com a simplicidade existente na sociedade, pois é isso que cria a ignorância e as desigualdades.

20) É certo afirmar que:
a) há, no texto, uma crítica aos americanos, devido à inveja que eles têm de seus vizinhos.
b) o autor não acredita que haja carência verdadeira no Nordeste.
c) Os únicos males possíveis e imagináveis do Brasil são a Seca do Nordeste, a ignorância e as desigualdades.
d) Todas as penitenciárias de São Paulo deixam de atender os pedidos dos presos condenados.
e) Muitas carências são criadas pelo desejo leviano de o homem querer ter mais do é necessário.

21) A frase que altera a idéia básica da frase "Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado." é:
a) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, mas um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
b) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao mesmo tempo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
c) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, enquanto um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
d) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, no entanto um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.
e) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, quando um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado.

8º Parágrafo:
Há século e meio, Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa. A idéia não passou no "provão" da história. As desigualdades nas sociedades modernas provêm sobretudo de que alguns conseguem maior produtividade, e acumulam mais, por conta do que produzem. Bill Gates começou na garagem de casa com talento e informação, e se fez multibilionário com suas inovações tecnológicas. O mistério do progresso está na inovação e na acumulação. A acumulação aumenta a desigualdade em relação ao que não acumulou. Há dois séculos passados, as diferenças de renda per capita entre os países ricos e os mais pobres eram de duas ou três vezes. O crescimento da produtividade dos atuais países industrializados, entre 1820 e 1913, foi quase sete vezes maior do que entre 1700 e 1820, e a renda real per capita cresceu três vezes no período. Hoje, a diferença entre a Suíça e o Burundi, é de 390 vezes, e entre a média dos industrializados e a dos de mais baixa renda, é de 74 vezes. Possivelmente, o fator mais perverso terá sido o crescimento populacional descontrolado, que condenou os subdesenvolvidos a carregar água em peneira.

22) Considerando-se o texto, é incorreto afirmar que:
a) Entre 1820 e 1913, o crescimento da renda per capita dos atuais países industrializados foi proporcional ao crescimento da produtividade dos mesmos países.
b) Modernamente a teoria de Marx não mais é aceita como verdadeira.
c) O fato de que alguns conseguem maior produtividade e, conseqüentemente, acumulam mais por conta do que produzem é fundamental para existir a desigualdade.
d) A inovação e a acumulação são fatores preponderantes para a subsistência do progresso.
e) É provável que o crescimento populacional descontrolado seja o fator mais importante para o aumento das desigualdades sociais.

23) "Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa." Os elementos destacados têm a mesma função sintática que os da frase:
a) O crítico proferiu palavras discordantes das obras do artista.
b) O partido desagregado dos fundamentos da Pátria não deve ser respeitado pelo eleitor.
c) A abonação de suas faltas pela diretoria foi justíssima.
d) Luiz da Cunha era estranho às apressadas solicitudes da Viscondessa de Bacelar com o futuro de sua filha.
e) A algazarra dos soldados foi interrompida com a chegada do correio.

24) Em relação à frase "Há dois séculos passados...", retirada do texto, é certo afirmar que:
a) Está absolutamente certa.
b) Está errada, pois o verbo haver deveria estar no plural.
c) Está errada, pois, como o verbo haver já indica tempo decorrido, não se deveria usar o adjetivo passado.
d) O verbo haver deveria ser substituído pelo verbo fazer, sem qualquer outra mudança na frase.
e) Está errada, pois, como o verbo haver é impessoal, o adjetivo passado também deveria estar no singular.

9º Parágrafo:
Os governos já nos tungam uma proporção altíssima do PIB, superior à de qualquer país em desenvolvimento. No entanto, União, Estados e municípios estão reduzidos quase à indigência, e não cumprem direito suas funções sociais. É preciso que se diga que a carga fiscal reinante em nosso manicômio tributário é exagerada para nosso nível de renda. A partir de certo patamar, tributar mais reduz a produtividade e a competitividade, piorando ao invés de melhorar as oportunidades de emprego. O problema social brasileiro não se resolve gastando mais e sim gastando melhor.

25) Nesse parágrafo o autor:
a) critica a ação do governo em relação ao aumento exagerado dos tributos no país.
b) argumenta favoravelmente ao governo no tocante ao aumento de impostos no país.
c) julga improcedente a discussão acerca do cumprimento das funções sociais do Estado.
d) acredita que o patamar mais elevado da produtividade está no tributar mais e reduzir a competitividade no mercado.
e) comenta que o nível de renda brasileira é baixo devido ao aumento dos impostos no país.

Gabarito

19)b
20)e
21)e
22)a
23)c
24)c
25)a

4 comentários:

Anônimo disse...

Achei o exercício ótimo , pois consigui exercitar minha mente e passar no vestibular , adorei os pensamentos do autor e/ou da autora !

Parabéns pelos exercícios feitos e pelas realizações elaboradas !

Grata!

Anônimo disse...

Adorei os exercícios, pois com eles pude ampliar meu vocabulário e me sentir mais segura ao ler e responder outros textos!!!!!bjos e continue colocando mais....

Rosberg_17 disse...

Muito bom o texto,pode tirar algumas dúvidas de interpretação e assimiliar noções,Parabens ao autor..

Anônimo disse...

Não gostei.

Ocorreu um erro neste gadget

Artigos Relacionados