Resumo iluminismo - História


O Iluminismo



foi um movimento global, ou seja, filosófico, político,social, econômico e cultural, que defendia o uso da razão como o melhor caminho para se alcançar a liberdade, a autonomia e a emancipação.Este movimento surgiu na França do século XVII e defendia o domínioda razão sobre a visão teocêntrica que dominava a Europa desde a IdadeMédia. Segundo os filósofos iluministas, o nome ³iluminismo´ fez uma alusãoao período vivido até então, desde a Idade Média, período este de trevas, noqual o poder e o controle da Igreja regravam a cultura e a sociedade.Foi um movimento de reação ao absolutismo europeu, que tinha comocaracterísticas as estruturas feudais, a influencia cultural da Igreja Católica, omonopólio comercial e a censura das ³idéias perigosas´.


Os ideais iluministas


Os pensadores que defendiam estes ideais acreditavam que opensamento racional deveria ser levado adiante substituindo as crençasreligiosas e o misticismo, que, segundo eles, bloqueavam a evolução do homem.Para os iluministas só através da razão (ciência) o homem poderiaalcançar o conhecimento, a convivência harmoniosa em sociedade, a liberdade individual e a felicidade.A razão (ciência) era, portanto, o único guia de sabedoria capaz deresolver qualquer problema, dando ao homem a compreensão e o domínio da natureza.O homem deveria ser o centro e passar a buscar respostas para asquestões que, até então, eram justificadas somente pela fé.

Século das Luzes

A apogeu deste movimento foi atingido no século XVIII, e, este, passou aser conhecido como o Século das Luzes. O Iluminismo foi mais intenso naFrança, onde influenciou a Revolução Francesa através de seu lema:
Liberdade, igualdade e fraternidade.Também teve influência em outros movimentos sociais como na independência das colônias inglesas na América do Norte e na Inconfidência Mineira, ocorrida no Brasil.
Para os filósofos iluministas, o homem era naturalmente bom, porém,era corrompido pela sociedade com o passar do tempo. Eles acreditavam quase todos fizessem parte de uma sociedade justa, com direitos iguais a todos, a felicidade comum seria alcançada. Por esta razão, eles eram contra asimposições de caráter religioso, contra as práticas mercantilistas, contrários ao absolutismo do rei, além dos privilégios dados a nobreza e ao clero.
Os burgueses foram os principais interessados nesta filosofia, pois,apesar do dinheiro que possuíam, eles não tinham poder em questões políticas devido a sua forma participação limitada.
Naquele período, o Antigo Regime ainda vigorava na França, e, nesta forma de governo, o rei detinha todos os poderes. Outra forma de impedimento aos burgueses eram as práticas mercantilistas, onde, o governo interferia ainda nas questões econômicas.
No Antigo Regime, a sociedade era dividida da seguinte forma: Em primeiro lugar vinha o clero, em segundo a nobreza, em terceiro a burguesia e os trabalhadores da cidade e do campo. Com o fim deste poder, os burgues estiveram liberdade comercial para ampliar significativamente seus negócios,uma vez que, com o fim do absolutismo, foram tirados não só os privilégios de poucos (clero e nobreza), como também, as práticas mercantilistas que impediam a expansão comercial para a classe burguesa.
Os iluministas defendiam a criação de escolas para que o povo fosse educado e a liberdade religiosa. Para divulgar o conhecimento, os iluministas idealizaram e concretizaram a idéia da Enciclopédia (impressa entre 1751 e1780), uma obra composta por 35 volumes, na qual estava resumido todo o conhecimento existente até então.Os iluministas sonhavam, enfim, com um mundo onde houvesse colaboração entre os homens para alcançar a felicidade comum. Diderot e d'Alembert foram os principais componentes de um grupoconhecido como os Enciclopedistas, que organizaram e publicaram a Grande Enciclopédia
AEncyclopédie pretendia ser uma suma completa dos conhecimentos filosóficos e científicos da época. 
Colaboraram com este conjunto de livros mais de trezentos pensadores.A tônica da obra era o anticlericalismo, o materialismo e principalmente oliberalismo político. Por isso era contrário às monarquias absolutistas e à Igreja.No entanto que foi proibida pelas autoridades e passou a circular clandestinamente.


Conceitos da Burguesia


  • Eram contra os conceitos da Igreja acreditavam que Deus estava presente na natureza, portanto no homem.
  • Os iluministas diziam que leis naturais regulavam as relações entre os homens, tal como regulavam os fenômenos da natureza. Consideravam os homens todos bons e iguais; e que as desigualdades seriam provocadas pelos próprios homens, isto é, pela sociedade. Para corrigi-las, achavam necessário mudar a sociedade, dando a todos liberdade de expressão e culto, e proteçãocontra a escravidão, a injustiça, a opressão e as guerras.

Despotismo esclarecido

Foi adotado por monarcas europeus através da idéia iluminista demodernizar o Estado. Fazendo assim melhorias como construção de hospitais,asilos e escolas, incentivando o comercio e a industria.Porem em algumasmonarquias seus déspotas não conseguiram se igualar `a Franca nem aInglaterra como nações modernas.
Teve como principais déspotas: FedericoII da Prússia, Catarina II daRússia, Marques de Pombal de Portugal, Aranda da Espanha.
Principais Filósofos:



Bento de Espinosa (1632±1677), filósofo holandês, com ascendênciajudaica portuguesa. É considerado o precursor das correntes mais radicais dopensamento iluminista. Escrito mais importante: Ética (1677).

  • John Locke (1632 - 1704), filósofo inglês. Escritos mais importantes:Ensaio sobre o entendimento humano (1689); Dois tratados sobre governo(1689).
  • Montesquieu (Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu) (1689-1755), filósofo francês. Notabilizou-se pela sua teoria da separação dos poderes do estado(Legislativo, Executivo e Judiciario), a qual exerceu importante influência sobre diversos textos constitucionais modernos e contemporâneos. Escrito mais importante: Do Espírito das Leis (1748).
  • Voltaire (pseudónimo de François-Marie Arouet)(1694-1778), Defendia uma monarquia esclarecida.Filósofo francês, era deista(acreditava que para chegar a Deus não era preciso a igreja, e sim a razão). Notabilizou-se pela sua oposição ao pensamento religioso e pela defesa da liberdade intelectual.Escritos mais importantes: Ensaio sobre os costumes (1756); Dicionário Filosófico (1764)Cartas Inglesas.
  • Benjamin Franklin (1706-1790), político, cientista e filósofo estadunidense. Participou ativamente dos eventos que levaram à independência dos Estados Unidos e da elaboração da constituição de 1787.
  • Buffon (Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon) (1707-1788),naturalista francês. A sua principal obra, A história natural, geral e particular (1749±1778; 36 volumes), exerceu capital influência sobre as concepções de natureza e história dos autores do Iluminismo tardio.
  • David Hume (1711-1776), filósofo e historiador escocês.
  • Jean-Jacques Rousseau (1712-1778), filósofo francês. Escrito mais importante: Do Contrato Social.
  • Denis Diderot (1713-1784), filósofo francês. Elaborou juntamente com D'Alembert a "Enciclopédia ou Dicionário racional das ciências, das artes e dos ofícios", composta de 33 volumes publicados, pretendia reunir todo o conhecimento humano disponível, que tornou-se o principal vínculo de divulgação de suas idéias naquela época. Também se dedicou à teoria da l iteratura e à ética trabalhista.
  • Adam Smith (1723-1790), economista e filósofo escocês. O seu escrito mais famoso é A Riqueza das Nações.


Fonte :http://pt.scribd.com/doc/52868428/Iluminismo






Nenhum comentário:

Compartilhe

Artigos Relacionados